Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Segredo revelado

Segredo revelado

02.07.10

''perguntem ao Queiroz''


segredo_revelado

 

Posso escrever um bocadinho sobre o desaire da selecção nacional , posso?

Não faço ideia da resposta que dariam à pergunta, mas , fosse sim ou fosse não , preparem-se...

Sou um adepto desse desporto colectivo a que chamam futebol, mas isso não faz de mim um grande entendido na matéria, pelo que a minha opinião vale o que vale.

Ontem , ao ver os serviços noticiosos , constatei que há muita gente a querer ver o professor Carlos Queiroz a navegar para fora do cargo de seleccionador nacional. Opá , não façam o comandante da  nau-selecção , passar a ser o náufrago que vai dar à costa (talvez do Marfim , ou de Moçambique).

Há que reconhecer os méritos do professor. Pode não ser um bom seleccionador...pode não ter as decisões mais acertadas...pode até nem conseguir motivar os portugueses para meterem bandeiras à janela, que nem assim mesmo deixa de ser um visionário.

Alguém viu o Hugo Almeida dar mostras de sinais de cansaço? Não? Pois , eu também não, mas que percebemos nós de futebol e de gestão de esforço? Só um ser ''iluminado'' e visionário como o Prof.. Queiroz viu o cansaço daquele jogador que , e cada um pensa aquilo que quer , estava a ser um dos melhores jogadores lusos.

Dizem as más línguas , as mais viperinas do país e do mundo , que o seleccionador dos navegadores foi um dos grandes responsáveis pelo afundamento precoce da embarcação lusitana , incapaz de resistir à armada espanhola. Meteu água ! Perdeu o Norte!

 

Já se sugere que o sr vá treinar equipas de matraquilhos ,já que de futebol pouco percebe. Matraquilhos?!! Estão a brincar! Se o homem achou o Hugo Almeida cansado, então que achará dos estáticos jogadores que fazem parte do jogo de matrecos? Aos 2 minutos já ele tinha substituído todos os jogadores...2 vezes!

''Se algum jogador for grande demais para conseguir vestir a camisola de Portugal  então não faz falta'' - palavras do professor .

Ó professor , francamente! Fica-lhe  tão mal discriminar as pessoas que usam tamanhos grandes e que são anafaditos. Se o Miguel e o Miguel Veloso conseguiram vestir a camisola das quinas , então até o Fernando Mendes e o Malato conseguem.

Por falar em tamanhos...Então mas afinal o tamanho conta? Terá sido por isso , pela falta de envergadura física que não foi seleccionado o João Moutinho? Ele é pequeninito, mas com uma camisola tamanho Small , nem havia o risco de andar a jogar e a pisar camisola , por esta lhe ficar larga de mais.

Diz o selecciondor que não tem de ser amigo dos jogadores , mas sim conquistar o seu respeito. Boa! Até concordo. Só não concordo que , se for verdade o que vinha ontem noticiad no Coreio da Manhã, que o seleccionador ganhe 15 vezes mais que o Presidente da República. É uma vergonha , caso isso seja verdade. Afinal não estamos em crise? Já podiam ter dito.

Chega de falar de tristezas. Em breve , já no próximo mês de Setembro , tem inicio a fase de apuramento para o Euro 2012 e , dependendo dos resultados conseguidos , as bestas podem voltar a serem bestiais.

Até lá , ainda esta polémica vai dar água pela barba.

 

 

 

segredo revelado: No futebol, como em tantas outras áreas e aspectos da nossa vida , é impressionante a facilidade e ligeireza com que se passa de besta a bestial, e vice-versa.

É verdade que ninguém pode acomodar-se às conquistas do passado , deixando de ''lutar'' com todas as forças para atingir novas vitórias, mas também é verdade que alguém que ao longo dos anos sempre foi considerado um bom profissional, não deixe de o ser por causa de umas decisões menos bem conseguidas.

 

 

18.05.10

o bom, o mau e o vilão


segredo_revelado

Em Portugal ou em qualquer outra parte do Mundo , um politico pode ser catalogado com um de três ''rótulos'': bom, mau ou vilão.

Não faz muito sentido pensar que , conforme é o nível de maturidade democrática de um determinado país, assim é o nível da sua classe política.

Comparando Portugal, Espanha, EUA, Tanzânia , Brasil ou ilhas Fiji, não muda muito mais do que a moeda com que são subornados os políticos vilões , pois a aselhice e desinteresse dos maus políticos, e as dificuldades e dissabores de todos aqueles políticos que desempenham bem o seu papel democrático, são iguais , cada um à sua escala de grandeza.

Numa sociedade onde se diz que cada um singra na vida pessoal e profissional consoante o seu mérito próprio, não deixa de ser estranho que em muitas classes, nomeadamente na política, se fale e hajam tantos padrinhos (palavra sem conotação mafiosa) , afilhados, ''tachos'' e cunhas.

Habituámo-nos a ouvir falar de jobs for the boys, de favorezinhos , de progressões meteóricas,de nomeações abusivas, de dar uma palavrinha a fulano ou a sicrano, de presentes ''inocentes'', mas caros, e de muitas coisas mais, o que não faz transparecer a melhor das imagens da nosa classe política. Ainda assim, nada de muito maior gravidade que noutros países e noutras democracias mais antigas.

Corrupção , favorecimentos, actos ilicitos em beneficio próprio, despesismo,... não são patentes registadas pelos nossos políticos nacionais, e acontecem nos mais variados locais do planeta.

Semelhanças (tristes) à parte , há algo que nos distingue na maneira como são resolvidos muitos desses casos. Se noutros países se condenam pessoas envolvidas em situações menos próprias, tenham elas o cargo ou filiação política que tiverem, nós, cá em Portugal, fazemos algo um bocado diferente. Se é um político vilão e há provas disso  (o que é difícil de acontecer em mais de 80% dos casos) , prende-se? Credo! Claro que não! Nomeia-se gestor de uma empresa pública, onde as suas potencialidades podem ser usadas em prol do país, e está resolvido o problema.

Estranha perversão esta, da teoria de que é por mérito que somos reconhecidos e recompensados.

Mas nem todos os políticos são vilões. Também há aqueles que são simplesmente maus no que fazem. Neste caso , política.

Quantos de nós , com variadas idades e profissões, não conhecemos pessoas que , por muito que se esforcem , são inábeis para o exercicio de determinada função ou profissão? Alguns , digo eu.

Somos um país pequeno em extensão territorial , mas grande em riqueza cultural e história, onde todo aquele que exerce um cargo político é visto num plano superior ao do comum cidadão eleitor, por isso, ser político é algo que ''apetece'' a muita boa gente, mesmo sem vocação para aquilo.

A politica é como uma feira de velharias , onde aparece um pouco de tudo , desde artigos com muito valor , que raras vezes aparecem , como também aparecem aqueles monos , vistosos , mas sem qualquer valor útil. Talvez seja por isso que nos meandros da política, aparecem , caídos de para-quedas, actrizes ,cantores , jornalistas , e outros que tais.

Não questiono o seu valor como pessoas , nem os seus méritos e talentos profissionais, mas também não percebo o que querem eles fazer no mundo da política. Podem ser os melhores dos melhores nas suas profissões , mas como políticos nunca deixarão de serem medíocres e maus.

Last, but not the least, falta falar de uma espécie em vias de extinção: os bons políticos!Conhecem poucos? Claro! Eles são uma raridade, por isso são tão poucos.

Este tipo de político, apesar de ser eleito com a ajuda de um partido , por ser diferente dos demais , consegue manter a sua integridade, isenção, imparcialidade e sentimento de serviço de utilidade pública, o que permite com que , contra ventos, marés e tendências políticas partidárias, possa defender as ideias , direitos e garantias de todos os cidadãos que, com o seu voto , o elegeram.

São pessoas com uma grande consciência social e das desigualdades e injustiças sociais; São pessoas que entram na política , não por causado mediatismo , das reformas ou dos ''tachos' , mas por vocação; São as vozes dissonantes que se fazem ouvir nos partidos; São aqueles que se mantêm ao lado do povo , mesmo quando os outros , por ser politicamente correcto , se afastam; São imunes a pressões dos poderes instituídos , sejam poderes políticos , financeiros ou sociais; São mais trabalhadores , mais assíduos e mais presentes  junto das populações; São defensores das minorias , apesar de acreditarem e respeitarem nas decisões das maiorias democráticas;

São muitas outras coisas mais , mas,acima de tudo, por não serem apenas mais uma ovelha, igual a tantas outras do rebanho, são políticos indispensáveis , mesmo nesta nossa democracia, tão diferente da ditadura e do autoritarismo ,onde ,supostamente, há liberdade de expressão e de escolhas.

A esses bons e tão raros  políticos , tiro o meu chapéu (que por acaso até nem uso, mas isso é só um pequeno pormenor sem importância), em sinal de respeito e de admiração. Loucura das loucuras , até estaria disposto a  dar-lhes o meu voto , não fosse eu um abstencionista convicto e recorrente. Se há políticos que me fariam mudar de opinião quanto à abstenção ou ao achar que na classe política é tudo farinha do mesmo saco, seriam eles.

Já ficam a saber, nas próximas eleições, vão ter de escolher um de três candidatos : o bom , o mau ou o vilão. Escolham bem...

Segredo revelado ao poder!!

 

 

 

 

segredo revelado: Quem não quer ser lobo , não lhe vista a pele, diz, sabiamente , o povo. E é verdade, penso eu.

É com alguma estranheza e incompreensão que ouço as queixinhas e lamúrias de certos políticos, por causa dos inconvenientes e dissabores que a política lhes traz. Será que alguém os obrigou a serem candidatos a algum cargo, apontando-lhes uma arma à cabeça? Não  me parece!De que se queixam então?

Reconheço que até podem ter razão nalgumas das queixas que fazem, mas a partir do momento em que são candidatos e eleitos, já sabem com o que podem contar. Vão haver injúrias , vai haver pressão , vai haver falta de tempo para a família, etc... ? Vão! Que fazer? Demitam-se! Tanto quanto sei , a demissão é algo que não lhes está interdito, e que , em menos de três tempos, enquanto um deputado ...ups..Diabo esfrega um olho, lhes resolvia muitos dos inconvenientes de que tanto se queixam.

A única coisa que estranho , é nunca ter ouvido um político queixar-se das regalias que tem , tais como por exemplo: ajudas de custo, carros topo de gama, reformas antecipadas e chorudas, preferência nas nomeações para certos cargos, refeições luxuosas pagas com dinheiros públicos , e tantas coisas mais. Baaah!

O povo é que tem razão...Se não querem ser lobos , não lhes vistam a pele (nem roubem gravadores a jornalistas)!